Advogada, Escritora, Ativista Cultural, Natural de Santo André, Estado de São Paulo. Acadêmica, Cadeira n. 43 - Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro - ANLPPB www.anastoppa.prosaeverso.net

15
Ago 13


Ecoam dolosos  sons do ontem
Emolduram  saudosas imagens
Passageiras  etéreas  do  existir
Na saudade a subtrair o sorriso

 
Amarelada resta  a branca toalha
Vestindo  de nostalgia a fria mesa
Arrastam-se  tantas cadeira vazias
Abandonadas na escura nostalgia

 Misturam-se as vozes das crianças
Entremeando  lágrimas presentes
Badala nostálgico o  sino da capela
Triste escuridão   carece de   velas

 Estática desnuda-se a  existência
Acuada no silêncio que a circunda
Um  fio  de voz  balbucia  orações
Ante a indiferença das multidões.


Ana Stoppa
 
 

publicado por Ana Stoppa, Escritora Brasileira. às 10:35

Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30


posts recentes

Sons do ontem

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO