Advogada, Escritora, Ativista Cultural, Natural de Santo André, Estado de São Paulo. Acadêmica, Cadeira n. 43 - Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro - ANLPPB www.anastoppa.prosaeverso.net

25
Abr 14

 

Alma de Poeta

 

 

Pobre alma distraída esqueceu a porta aberta

Emoções  inesperadas invadiram-lhe  as frestas

Sentiu a vida pulsar de uma forma indescritível

Experimentou sensações,  voou como  colibris.

 

 

Despertou  da letargia, experimentou a alegria

Sorriu feliz para a lua, cirandou com as estrelas

Coloriu a tal  saudade  com os  tons  da amizade

Deu  vida aos  desejos,  pulou as ondas do mar

 

 

Aprendeu a conjugar  os tempos do verbo amar

Dançou a valsa de Strauss esqueceu-se da tristeza

Descobriu a vida bela e em versos a quis mostrar

Rabiscou as emoções, teceu histórias e  poemas.

 

 

Hoje passeia feliz, mãos entrelaçadas com a paz

Ainda que  surja a dor , ainda que o pranto role

Quando vem a inspiração, entrega-se  por inteiro

Prova em cada verso  o sabor do amor primeiro.

 

                                                                                    Ana Stoppa

 

publicado por Ana Stoppa, Escritora Brasileira. às 14:19

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO