Advogada, Escritora, Ativista Cultural, Natural de Santo André, Estado de São Paulo. Acadêmica, Cadeira n. 43 - Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro - ANLPPB www.anastoppa.prosaeverso.net

03
Abr 13


Cristal, A Corujinha Cantora -  Conto Premiado 2. Lugar  Projeto Alma Brasileira  13.03.13






Cristal, A Corujinha Cantora.


Cada ser vivente tem o seu valor - ensina a Dona Tita, a borboleta monarca, lá na Escola das Borboletinhas frequentada pelas aves do lugar.

As pessoas, as plantas, os animais, as aves, os insetos e tudo o que Deus colocou para povoar
o mundo.

- Como assim professora?

Pergunta o Canário Zezo interessado no assunto.

Zezo -  diz  DOna Tita com a doçura própria dos bons educadores.

É muito importante que você e seus amiguinhos aprendam a respeitar os valores e as limitações dos semelhantes, que sempre pratiquem o bem.

Mais do que isso, digo para vocês - a gratidão é um sentimento que deixa as portas de todos os ninhos abertas.

Não entendi, diz Zezo.

- Simples.

Na aula de ontem quando falamos sobre solidariedade todos viram o exemplo da
Joaninha Jojoba - pratica voluntariado, ajuda os demais bichinhos do jardim, protege o meio ambiente e ainda ensina boas maneiras aqui na escola aos finais de semana.

Você mesmo, quando pedem leva o alimento no ninho para os filhotes órfãos, carrega palha para aquecê-los, e se preciso os protege dos predadores, certo?

-Claro Professora, gosto de ajudar!

Pois bem, falando em solidariedade gratidão e bons atos contarei para todos a história da Corujinha Cristal.

Como filha única Coruja Criselda e do Corujão Bonifácio era cercada de todos os mimos.

Ninho com plumas macias, frutas frescas, água
da cachoeira, passeios e carinho dos pais.

Logo nas primeiras revoadas, quando ouviu o canto suave do uirapuru ficou toda jururu,
pois queria cantar.

Dona Criselda já não sabia mais o que dizer quando Cristal pedia para cantar.

- Minha filha, o nosso canto é o piar, diferente dos outros pássaros, mais nem por isso deixa
de ser bonito!

É a nossa característica!

Com paciência explicava as diferenças e o
talento de cada um.

Nada adiantou.

Certo dia Cristal fez amizade com Heráclito – pássaro formoso, dono do mais lindo canto!

- Ensina-me a cantar Heráclito?

Vocalizes, solfejos, exercícios – apenas o
piar afinara.

Heráclito explicou, após longo período de exercícios que aquele som era o melhor.

Que nada!

Cristal, ao invés de agradecer as lindas penas,
os olhos brilhantes, a agilidade no voo
e o carinho da família queria cantar como
os uirapurus.

De tanto insistir certo dia Heráclito teve uma ideia....

- Cristal, venha comigo!

Vamos passear no campo!

Daí eu canto e você dupla.

Assim todos pensarão que a voz é sua!

Vaidosa como ela só não pensou duas vezes.

Tomou banho de cachoeira, perfumou-se de
dama da noite, saiu sem avisar rumo à aventura.

Heráclito a esperou pelo menos umas duas
horas.

- Até que enfim!

Pronta para “cantar”?

- Claro Heráclito, nosso plano vai dar super
certo!

- Quero ser conhecida como a Cristal a
Coruja Cantora!

Em seguida voaram para o ipê florido, morada
de várias espécies de pássaros, repleto de ninhos!

A coruja escolheu um galho para pousar, de
modo que pudesse ver Heráclito a fim de
dublar com perfeição.

Quanto Heráclito fez o sinal, soltando os primeiros trinados, Cristal, sem cerimônia começou a cantar, quer dizer – dublar.

Os moradores do grande ipê ficaram maravilhados com o canto e mais ainda com
a novidade!

- Uma coruja cantando...

Heráclito já não aguentava mais - quinze melodias....

Voou para perto de Cristal, disse que iria parar.

- De forma alguma, não vê que todos me
aplaudem!

- Se você for embora acabou o show...

Muito educado prolongou o empréstimo da voz”  por mais de uma hora - fizer aaquilo apena spara ajudar Cristal.

Ao final da apresentação todos aplaudiram, queriam saber onde seria o próximo espetáculo, pediram autógrafos, tiraram foto,etc.
Foram muitas luas de alegria para Cristal, ninguém desconfiava do blefe.

Quando Heráclito tentava dizer não,
desesperada pedia para continuar.

Penalizado, o pobre pássaro não sabia como
sair da enrascada que ele mesmo arrumara.

Até que um dia amanheceu doente.

À tarde teria que se apresentar !

A coruja levou-lhe remédios, alimento, paparicou e nada!

Heráclito estava com um dor de garganta, daquelas de derrubar.

- E agora!

- Perguntava desesperada.

Heráclito respondia com mímicas, o canto
não saia!

Cristal voou rasante perto das árvores onde
seria o show da tarde!

Todas repletas de pássaros esperando o espetáculo....

- Meu Deus o que faço agora!

Correu para casa procurar a mãe, que até então não sabia da farsa.

Relatou a louca aventura, as mentiras.

- O que você faz?

Ora, cante com a sua voz!

- Mamãe mais eu só sei piar!

- Pois então pie!

Quem disse que o piar não é harmonioso?

Depois filha, cada qual tem o seu valor.

- Mais vão descobrir que era o Heráclito
quem cantava mamãe!

- A escolha foi sua Cristal, quando arquitetou
se apossar do talento alheio, desprezando seus valores,  em busca da fama ilusória  não pediu conselhos.

Pois bem minha filha, diante desta situação só tem uma saída honrosa - diga a verdade!

Os pássaros estranharam quando Cristal
chegou desacompanhada.

Heráclito, apresentado nos shows como “empresário” era figura conhecida entre a passarada.

Desta feita Cristal estaria sozinha.

Estava atrasada, mal pousou no palco ouviu o
coro uníssono – começa....começa...começa...

Sem saber o que fazer.

Olhou para as estrelas, pensou nas lições da mãe, em seguida cantou - quer dizer piou.

Qual não foi a surpresa!

Foi efusivamente aplaudida!

Tico, o canário porta voz da passarada ao final do espetáculo subiu no palco, pediu a palavra.

Cristal – falou comovido, que maravilha de
canto!

Quanta originalidade no seu piar!

Precisávamos de algo novo!

Parabéns pelo talento!

Enquanto Tico discursava, a passarada
aplaudia.

Cristal não sabia o que dizer...

Nem notaram a ausência de Heráclito...

Feliz voou para a toca, Mamãe Criselda recebeu-a carinhosamente.

Já sabia do ocorrido, os canários do reino se encarregaram de antecipar.

Satisfeita com a atitude da filha, preparou-lhe
o ninho para o merecido descanso.

Cristal adormeceu sob as asas da mãe, feliz
por acreditar nos próprios valores.

Heráclito seria apenas o bom e fiel amigo,
nada de dublá-lo!

Mais que isso – aprendeu desde então a agradecer a Deus as virtudes que ele empresta!

O piar original, verdadeiro, espontâneo, simples, demonstrado com o coração tornou-se o
mais harmonioso canto!

- Que história linda Dona Tita, exclamou Zezo!

Imagino se a Cristal ficasse sempre na dependência de Heráclito, jamais descobriria
seu talento...

Mais que isso Zezo – através da verdade,
Cristal descobriu os próprios valores e com
isso encontrou a liberdade!


(Ana Stoppa)










publicado por Ana Stoppa, Escritora Brasileira. às 19:03

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Abril 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

17
19
20

26
27

28
29
30


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO