Advogada, Escritora, Ativista Cultural, Natural de Santo André, Estado de São Paulo. Acadêmica, Cadeira n. 43 - Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro - ANLPPB www.anastoppa.prosaeverso.net

21
Out 13

Quanto eu era criança

Meu  mundo era colorido

Amava andar descalça

Ver a chuva na vidraça

 

Quando eu era criança

Conversava com o Sol

Dava boa noite à lua

Alegre contava estrelas

 

Quanto eu era criança

Não conhecia o medo

Nem a solidão dos segredos

Adorava meus brinquedos

 

Quando eu era criança

Tinha a  face  rosada

Adornada pelas tranças

Com laços cor de esperança

 

Quando eu era criança

Amava brincar de rodas

Cantar  as muitas cantigas

Ter fadinhas como amigas

 

Quanto eu era criança

Conversava com os anjos

Na serenidade das preces

No silêncio da harmonia

 

Quanto eu era criança

As lágrimas eram poucas

As ruas  repletas se flores

Minhas manhãs coloridas

 

Quanto eu era criança

A voz de minha santa mãe

Era  pura sinfonia de Deus

A embalar os sonhos meus

 

Quanto eu era criança

Meu pai, um grande herói

Contava muitas histórias

Todas em minha memória

 

Foram-se os muitos barcos

Pra o meu mar imaginário

Morada da doce infância

Quando eu era criança...

 

 

Ana Stoppa

publicado por Ana Stoppa, Escritora Brasileira. às 03:38

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Outubro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO